Não atrasar…

Acabei há tempos de re-lêr o livro “The Life of Milarepa”, uma biografia/história de um praticante espiritual que ficou “famoso” devido às voltas extremas que teve na vida, o duro caminho e o alcance da sua realização espiritual.

Entretanto, encontrei uma frase dele que transmite muito bem algo que sinto e que nunca consegui exprimir assim de forma tão simples:

“The affairs of the world will go on forever. Do not delay the practice of meditation.” – Milarepa

Muito facilmente caímos na tendência de dar mais importância a milhares de coisas que temos que resolver no mundo. Sejam problemas sociais, políticos, económicos, educativos, ambientais… ou qualquer outra coisa. Mas, como Shrii Shrii Anandamurti disse, a um nível colectivo a perfeição é impossível. Faz parte da natureza e do ciclo da criação, os clashes, as lutas, a evolução e degeneração. Nunca o mundo irá ser perfeito, e essa é a sua perfeição 🙂

Vivemos num contexto específico, de tempo, espaço e pessoas e, facilmente, ficamos presos nos dramas da vida que nos rodeia. Claro que temos que estar envolvidos com o mundo, servir, ajudar para que tudo seja melhor todos os dias. Simplesmente não podemos deixar que isso nos faça pôr o progresso espiritual – o único verdadeiro progresso – em segundo plano.
Daí Anandamurti ter dito que a nossa postura na vida deve ser de “abordagem subjectiva, com ajuste objectivo”. Mantendo o foco espiritual, adaptamos e ajustamo-nos com a vida prática que nos rodeia.

Novos dramas virão, novos conflitos, novas ideias, novos problemas, mesmo depois de já cá não estarmos. A “perfeição” nunca chegará. É interessante notar que Milarepa viveu há 1000 anos atrás, a sociedade e os seus problemas seriam bem diferentes dos de hoje, mas a essência desta frase continua exactamente a mesma, os problemas continuarão para sempre, não adiar aquilo que é realmente importante.. estamos só de passagem 🙂

Alterações à Meditação Colectiva semanal

Aproxima-se o Outono e, com o tempo mais frio e chuvoso, agradecemos e despedimo-nos do Parque do Convento que acolheu as nossas meditações colectivas nos últimos meses.

Durante os próximos tempos, Lótus Fundão vai ser o espaço onde passaremos a realizar a meditação semanal. No entanto, por motivos de agenda e também para facilitar a participação de quem trabalha até mais tarde, fizemos alguns ajustes no horário.

De agora em diante a meditação colectiva semanal será às Segundas-Feiras, com início pelas 19h. (a iniciar já dia 21 de Set)

A Ananda Marga realiza sempre meditações colectivas abertas a todos, sem qualquer custo fixo ou obrigatório. Como deve ser lógico, o uso de um espaço acarreta consigo custos de manutenção, aquecimento, etc. No entanto, queremos continuar a disponibilizar estas sessões do modo mais livre possível, para que ninguém se sinta impedido ou constangido de participar.

Assim, e por um período experimental, a Ananda Marga irá assumir as despesas e contribuição para o Lótus Fundão, deixando ao critério de cada participante o donativo que deseja deixar em cada sessão.

Dentro de algum tempo iremos re-avaliar este sistema e a sua viabilidade.

Obrigado e Baba Nam Kevalam 🙂

Prana, respiração e a mente

«Uma das extraordinárias comprovações da foto Kirlian é que o campo energético colorido da aura se torna mais reluzente quando os pulmões se enchem de oxigénio puro – ou seja, a respiração profunda gera e abastece essa energia prânica. Há milhares de anos, os iogues compreenderam que existe uma forte relação entre a energia vital e a respiração, pois absorvemos esse prana provedor de vida não só dos alimentos ingeridos, mas especialmente do ar que respiramos.

Todo o ser vivo depende da respiração, e quando a respiração cessa, cessa a vida. Desde o primeiro choro de uma criança até o último suspiro do moribundo, o que temos é uma série contínua de respirações. Gastamos, constantemente, nossa força vital ou energia prânica em cada pensamento, em cada ato ou desejo, em cada movimento dos músculos. Em consquência, um abastecimento constanteé necessária, o que só se consegue através da respiração.

Dessa forma, os iogues enfatizaram a respiração correcta e desenvolveram exercícios específicos chamados pránáyama (controle da respiração) para maximizar a quantidade de energia vital absorvida em cada respiração. Na respiração normal, extraímos muito pouco prana da atmosfera. Porém, quando nos concentramos e regulamos conscientemente nossa respiração, tornamo-nos capazes de estocar grandes quantidades de prana nos vários centros nervosos ou cakras. As pessoas que praticam respiração sistemática e profunda podem sentir o forte efeito vitalizador do prana, na medida em que cada parte do corpo se torna impregnada de energia vital. Com o decorrer do tempo, o corpo inteiro fica sob controle, e todos os males são eliminados na sua origem. Além disso, esse poderoso vitalizador prânico gera saúde e energia também para as pessoas ao redor, porque o prana é conduzido para outros corpos, da mesma forma que a água flui de um nível mais alto para outro mais baixo.

O correto controle da respiração pode prevenir muitas doenças que afligem a humanidade nos dias atuais – doenças cardíacas, pressão alta ou baixa, asma e tuberculose, dentre outras. Um método de parto natural cada vez mais popular hoje em dia é o método La Maze, que ensina as mulheres grávidas a fazerem exercícios de respiração profunda similares à respiração iogue, para aliviar as dores do parto. O controle respiratório dissipa as tensões emocionais e relaxa a mente, aumentando a força de vontade, a concentração e o autocontrole. E, o mais importante, acelera o desenvolvimento espiritual, ao prover extraordinária força interior, que pode ser utilizada para elevar a mente e desenvolver consciência.

A Respiração e a Mente

O pensamento surge e se desenvolve de acordo com a respiração. Quando alguém pensa profundamente, sua respiração fica lenta. Quando pensa rápido, a respiração alterna rapidamente. Quando um atque de ira abala a mente, a respiração se torna agitada; quando a alma está tranquila, assim também está a respiração. Agora, peça alguém para tentar o oposto, solicite-o para pensar profundamento enquanto respira rápido, e verificará que isso é impossível!”

Emmanuel Swendenborg

A mente tranquila contribui para uma respiração lenta, profunda e regular. A mente intranquila afeta o coração e o ritmo respiratório, que então se torna irregular e errático. Todos nós experimentamos isso quando estamos ofegantes ou com a respiração acelerada, devido a alguma emoção súbita.

A respiração pode se tornar acelerada e irregular mesmo em situações de ligeira tensão, como os momentos de espera por uma entrevista. A respiração rápida impede o desempenho normal das faculdades mentais. Por exemplo, logo após correr, um estudante não conseguirá resolver problemas de matemática; ele protestará: “Esperem até que eu recupere minha respiração”.

De acordo com a ciência iogue, isso se deve à ação do pranendiya – centro psíquico localizado no Anahata Cakra (cakra do coração). O pranendriya é pulsativo e flui em ondas de expansão e contração repetitivas. A energia sutil do corpo está em sintonia com o pranendriya e flui de acordo com o seu padrão. Quando o pranendriya está em estado de expansão ou aceleração, a energia sutil também flui de forma agitada; dificultando a percepção das vibrações externas (formas, cores, sons, luzes etc.) pelos nervos e pelo cérebro. Quando o pranendriya está em estado de repouso, o fluxo de energia é lento, tornando a mente tranquila e receptiva. Nesse estado, as vibrações externas são recebidas e registradas de forma translúcida na mente, como o reflexo de uma paisagem num lago límpido e tranquilo.

O pranendriya está intimamente relacionado com a respiração. De acordo com a ciência do Yoga, o ato de respirar se divide, na realidade, em quatro etapas: inalação (puráka), pausa inaladora (kumhaka), exalação (recaka) e pausa de exalação (sunyaka). Durante a inalação e a expiração, o pranendriya está em estado de movimento e expansão; durante a pausa, ele está em estado de contração ou repouso.

Quando a respiração torna-se rápida e irregular, o pranendriya permanece em atividade e as pausas são menores; como resultado a percepção fica pouco nítida e a mente, perturbada. Quando a respiração é lenta, profunda e regular, os períodos de pausa são mais longos, o pranendriya fica calmo, aumentando a percepção e a concentração. Num estado de concentração profunda, a respiração se torna cada vez mais lenta.

A medicina ocidental está começando a perceber a estreita relação entre o ritmo respiratório e os estados mentais. Experiências têm demonstrado que mudanças no ritmo respiratório correspondem não só a mudanças no ritmo do coração, como também a mudanças nos impulsos elétricos do cérebro, quando assimila estímulos externos. Mais ainda, os cientistas descobriram que a respiração tem também profunda relação com a atividade mental. Numa pesquisa realizada entre pessoas com elevado poder de concentração, um médico descobriu que o estado de concentração reduz acentuadamente o ritmo respiratório e acarreta maior resistência da pele – um rsultado que tem relação com a redução da ansiedade.

Dr. Peter Steincrohn descobriu que muitos de seus pacientes com ansiedade tinham respiração rápida e superficial. Ele denominou essa forma de respirar de “respiração superficial”. Muitas pessoas ansiosa têm “respiração superficial” e nem mesmo sabem disso. Inconscientemente, respiram de forma rápida e superficial quando estão nervosos, o que somente intensifica o seu nervosismo. Suspiram e bocejam com frequência. Reclamam: “Não consigo respirar bem. A respiração não é tão suficiente quanto era antes”.

“Ajudei muitos pacientes ansiosos, ensinando-os a respirar. A ansiedade e a respiração estão tão interligadas que, ao cuidar de uma, frequentemente, a outra melhora. Algumas dessas pessoas abandonaram os tranquilizantes, as pílulas para dormir e outros medicamentos sedativos depois de aprenderem a respirar corretamente.”

Em uma experiência, Dr Steincrohn descobriu que ele podia induzir estados de alta ansiedade e pânico, ao fazer com que seus pacientes respirassem rápida e superficialmente. Tão logo eles voltavam a respirar regularmente, os sintomas de medo e ansiedade desapareciam.

Há milhares de anos, os iogues desenvolveram a ciência do pranayama (controle da energia vital através da respiração) para regular a respiração, aumentar os períodos de pausa do pranendriya e, dessa forma, controlar, acalmar e relaxar a mente. Dessa maneira, sensações negativas e perturbadoras podem ser eliminadas da mente.

Essas técnicas avançadas são ensinadas por professores de Yoga da Ananda Marga, treinados nessa prática. Se essa prática avançada for feita incorretamente, poderá resultar em grandes danos para o corpo e a mente. O pranayama nunca deve ser praticado sem a orientação segura de um professor habilitado.»

excerto do livro “Yoga para a Saúde Integral” (versão brasileira)
Publicações Ananda Marga

Tempeh com gengibre e molho de soja

Receita para 2 pessoas
Tempo de preparação: aprox. 15min

Ingredientes
250g de Tempeh fresco (manter no congelador)
Gengibre
Limão
Molho de soja

Nota: o tempeh pode ser difícil de encontrar em supermercados. No Fundão podem encomendar na “Saúde e Vida” no Centro Comercial Acrópole. Encomendas até 5ªfeira chegam na 2ª seguinte.

Preparação

Cortar o tempeh aos cubos. (Se for muito difícil devido à congelação, pode-se deixar descongelar um bocadinho antes, mas depois deve-se congelar novamentes antes da fritura).

Aquecer a frigideira com óleo para fritar. Enquanto aquece, prepara-se o molho.

Cortar um pedaço de gengibre (aprox 4cm, bem gordinho) e, com um ralador, ralar para uma taça ou prato fundo.

Gengibre Ralado
Gengibre Ralado

Juntar os pedacinhos de gengibre com a mão e apertar bem, várias vezes, para que o sumo saia todo. Deixar alguns bocadinhos de gengibre no sumo e o resto pode-se deitar fora. Espremer sumo de limão (mais ou menos a mesma quantidade que o sumo de gengibre).

Sumo de gengibre + sumo de limão
Sumo de gengibre + sumo de limão

Juntar 2 colheres de sopa de molho de soja.

IMG_1454
Sumo de gengibre + sumo de limão + molho de soja

Quando o óleo estiver bem quente, tirar o tempeh do congelador e fritar (deve ficar submerso). Quando estiver com uma cor bronzeada, está pronto a ser tirado. Deixar o óleo escorrer (na frigideira, ou usando um prato com papel de cozinha) e esperar que o tempeh arrefeça.

IMG_1456

Passar um cubo de tempeh de cada vez no molho e colocar num prato ou travessa.

Passar o tempeh pelo molho (várias vezes)
Passar o tempeh pelo molho (várias vezes)

Se no final sobrar molho, pode-se verter por cima do tempeh.

Aproveitar o resto do molho
Aproveitar o resto do molho

Esperar 10min para que o molho seja bem absorvido e está pronto a comer! 🙂

É um bom acompanhamento e muito prático para comida de pic-nic.

Nota: as quantidades de limão, gengibre e molho de soja podem-se alterar consoante os gostos 🙂

Sobre o Tempeh (retirado do Centro Vegetariano)

Tal como o tofu, o tempeh é outro produto feito a partir do feijão de soja.

O tempeh é ainda mais rico do que o tofu, pois por este processo não se perde nenhum nutriente do feijão de soja. Pode constituir uma fonte essencial de proteínas nas dietas sem produtos de origem animal, pois contém 19,5% de proteínas, ou seja, mais 50% do que os hambúrgueres normais. Não tem gorduras saturadas, é inteiramente livre de colesterol e contém apenas 157 calorias por cada 100 gramas.

O tempeh apresenta um sabor peculiar, lembrando o sabor de aves ou peixe, e uma textura elástica. Utiliza-se como substituto da carne em receitas tradicionais e pode ser grelhado, frito ou estufado com vegetais.

Curso de Tantra Yoga e Meditação (1º Módulo, Setembro)

beginner-yoga-300x198Numa abordagem racional que funde os conhecimentos ancestrais do oriente com o dinamismo ocidental, o Yoga e Meditação da Ananda Marga são métodos graduais de aperfeiçoamento holístico, ao alcance de qualquer pessoa, ainda que com muito pouca flexibilidade e/ou elevado grau de stress ou actividade profissional. Continuar a ler Curso de Tantra Yoga e Meditação (1º Módulo, Setembro)

Palestra aberta “A ciência da acção-reacção”

  • Estamos sob a influência de um destino pré-determinado?
  • Temos realmente livre arbítrio?
  • Porque nascemos e somos quem somos?
  • O que determina as nossas vontades, desejos e impulsos?

Esta apresentação tem como objectivo ajudar-nos a alcançar um melhor e mais profundo entendimento sobre a ciência da acção-reacção, o comummente falado Karma e de que forma toda essa influência tem um importante papel no ciclo cósmico da vida, morte e reencarnação.

No Lótus Fundão (Av. Eugénio de Andrade Lt 35 Loja 1)
Sexta-feira, 24 de Julho, às 19h30
Duração aproximada: 1h30m
Entrada por donativo para o Lótus.

Evento no facebook »

Por motivos logísticos e da capacidade do espaço, agradecemos a inscrição através de:
email: [email protected]
tel: 966956602

Ananda Marga na Bienal Saúde e Bem-Estar

A Ananda Marga vai mais uma vez marcar presença na Bienal Saúde e Bem-Estar no Fundão.

Para além da confecção de comida saudável e vegetariana, iremos realizar diversas actividades ao longo do fim de semana:

Sábado

11h00 – Ritmos e Vozes (Maheshvarii) – Escola das Tílias, Sala Workshops
12h00 – Arte Consciente (Prahlad) – Escola das Tílias, Sala Workshops
17h00 – Jogos Cooperativos (Dada) – Escola das Tílias, Sala Workshops
19h00 – Estilos de vida saudável: o segredo dos sumos detox (Dada) – Escola das Tílias, Sala Palestra

Domingo

10h00 – Yoga para Adultos (Tilottama) – Parque das Tílias
17h00 – Yogacikitsa – A ciência médica do Yoga (Madhuvanii) – Escola das Tílas, Sala Workshops

Programa completo do evento »

Meditação colectiva semanal

Num ambiente calmo, venha aprender uma técnica simples, mas eficaz, de meditação e confira as diferenças que isso pode ter no seu bem-estar no dia-a-dia!

A sessão de meditação colectiva consiste em:

  • Cântico de mantra (kiirtan)
  • Meditação colectiva
  • História/Partilhas

A meditação colectiva é uma prática aberta a todos e não requer qualquer tipo de conhecimento prévio.

Todas as segundas-feiras, às 19h00 no Lótus Fundão. (entrada por donativo)

Durante a meditação, é recomendado o corpo não estar em contacto directo com o chão. Por isso, aconselhamos que traga consigo um tapete ou manta.
Para quem está a iniciar a sua prática, e/ou tem mais dificuldades em estar sentado no chão, recomendamos também o uso de uma almofada ou banco.

Contactos para informações.

“Segredos Yogis para a Saúde e Bem-Estar”

Nesta apresentação, vamos conhecer algumas das mais importantes ferramentas, técnicas e conselhos, que fazem parte de um estilo de vida Yogi e que promovem uma vida mais feliz, sana e equilibrada.

Não vamos tratar de posturas complicadas, longos rituais ou outras práticas difíceis, mas sim de pequenas mudanças que qualquer pessoa pode fazer, no seu dia-a-dia, para atingir uma maior qualidade de vida, tanto a nível físico, mental ou espiritual.

Alguns dos temas a serem abordados:

  • bem-estar e a cura natural
  • mente e estilo de vida
  • sono
  • exercícios
  • usar os elementos naturais: sol, água, ar
  • alimentação consciente
  • meditação

No Lótus Fundão (Av. Eugénio de Andrade Lt 35 Loja 1)
Sexta-feira, 29 de Maio, às 19h00.
Duração aproximada: 1h30m

A entrada é gratuita, mas por motivos logísticos e da capacidade do espaço, agradecemos a inscrição através de:
email: [email protected]
tel: 966956602